O mundo do amanhã depende das ações que tomamos hoje. Embora a nossa consciência ambiental atualmente seja maior do que há algumas décadas, o fato de ainda imprimirmos cerca de 1 bilhão de cópias por dia no planeta mostra que ainda há muito o que fazer. A educação para um novo olhar passa pela escola, e ensinar não basta, é preciso dar o exemplo. Portanto, a sustentabilidade nas escolas é uma atitude que se faz urgente.

Números do desperdício

Para entender a profundidade do problema, basta que observemos alguns números:

  • 400 mil toneladas é a quantidade de papel produzida no mundo anualmente (Fonte: Bracelpa)
  • 10,260 mil toneladas é a produção anual de papel no Brasil. O país é o nono maior produtor de papel do mundo e o quarto maior produtor de celulose (Fonte: Bracelpa)
  • 10 mil folhas é a quantidade de papel que um funcionário de escritório gasta somente em um ano. Se elas fossem empilhadas, alcançariam quase quatro metros de altura (Fonte: EarthShare)
  • 19 é a quantidade média de vezes que um mesmo documento é fotocopiado, e cerca de 40% das impressões são desnecessárias (Fonte: PwC)

Os dados mostram uma realidade incompatível com os recursos que dispomos hoje, aonde praticamente tudo pode ser feito de forma digital, poupando o meio ambiente. Mas para transformar o mundo, além dos recursos, é preciso que haja também um despertar da consciência.

Nesse sentido, a escola desempenha um papel fundamental, pois ela é um dos pilares para a construção de valores e a formação do indivíduo como um ser consciente e responsável. Por isso, o engajamento dela com a causa pode torná-la o agente da mudança que o mundo precisa.

A importância do exemplo

A frase “a palavra convence, mas o exemplo arrasta” é muito verdadeira. Nenhum ensinamento pode ser fixado de uma forma mais contundente do que pelo exemplo, principalmente quando falamos de crianças.

Elas tendem a imitar as condutas que observam, de forma consciente ou não. O que veem e fazem dia após dia se torna um hábito. Ele, em conjunto com outros componentes, como o pensamento e o sentimento, molda o caráter.

Então, não existe maneira melhor de a escola ensinar sobre desenvolvimento sustentável do que praticando-o. Essa prática não se limita a um trabalho escolar de uma determinada matéria, ela é algo bem mais profundo. Implica na construção de um ambiente aonde o aluno possa “vivenciar” o que aprendeu sobre desenvolvimento sustentável. Em algo no qual ele possa se espelhar.

Por isso, atitudes constantes de sustentabilidade nas escolas se tornam degraus para um amanhã com menos escassez de recursos, menos desmatamento e menos desperdício. Deixar o mundo melhor do que encontramos é uma responsabilidade de todos, e é muito importante que a escola contribua para o despertar dessa consciência já nos primeiros anos de vida das crianças.

Práticas de sustentabilidade nas escolas

  • Substituir o papel pelo digital

O consumo de papel nas escolas é enorme. São agendas, livros, cadernos, recados no mural, comunicados, boletins, diário do professor, materiais para tarefas escolares, etc. Quase todos esses recursos poderiam ser digitais, e em muitas escolas, já são.

Cadernos e livros didáticos nem sempre podem ser substituídos, mas todas as outras atividades que envolvem papel podem. A agenda física, por exemplo, é totalmente dispensável nos dias de hoje, bem como toda a parte de comunicação com os pais feita por papel.

Há alternativas digitais que já permitem o envio e o recebimento de recados dos pais; a comunicação de eventos escolares; pedidos de autorização para passeios e também para terceiros buscarem a criança na escola; o envio de boletins, materiais em diversos formatos, listas de material escolar e boletos de mensalidades; o informe do calendário de todo o ano letivo; o envio de pareceres descritivos sobre o aluno e de ficha do bebê; entre outros. Aqui, por exemplo, você encontra uma ferramenta que te permite realizar todas essas tarefas.

Eliminar todo o papel possível é um grande passo para se atingir a sustentabilidade nas escolas, e um admirável exemplo para os alunos. E além de tudo, fazer o bem para o meio ambiente também faz bem para o bolso da escola, pois o corte de custos com papel, toners de tinta, clips, grampos e cola, representa uma grande economia para a instituição de ensino.

  • Reciclar lixo

A reciclagem de lixo é um ponto crucial para a sustentabilidade nas escolas. É importante que a instituição substitua lixos comuns por recicláveis, principalmente nas proximidades da cantina.

Além disso, a escola poderia abordar em aula o tema reciclagem, conscientizando os alunos da importância do reaproveitamento de recursos e do tempo que cada material demora para se decompor na natureza. Alguns, como o plástico e o alumínio, por exemplo, podem demorar até cinco séculos.

  • Plantar árvores

Uma ação que também pode ser feita pelas escolas é o plantio de árvores. Seria até uma forma de compensar o meio ambiente, em parte, pelo consumo de papel que a escola teve até então.

Esse plantio pode ocorrer em espaços da escola que precisam de mais “verde”. A ação contribuiria até para a revitalização dos locais. As crianças assim poderiam ver as árvores que elas plantaram crescendo, e também se responsabilizarem por regá-las, podá-las e adubá-las.

Seria interessante que fossem árvores frutíferas. Isso permitiria ainda mais interação dos pequenos com elas, pois poderiam alimentar-se dos frutos vindos das árvores que eles mesmos plantaram.

  • Cultivar uma hora

Uma horta comunitária também é uma boa forma de aproximar os alunos da natureza. Eles mesmos poderiam plantar as mudas, regá-las e adubá-las.

Depois, os vegetais e legumes que fossem colhidos na horta poderiam ser levados pelos alunos para casa, para que se alimentassem daquilo que eles mesmos plantaram.

  • Criar redes de carona entre pais

Quando os pais levam e buscam os alunos na escola, o combustível que o carro deles consome nesse trajeto polui o meio ambiente. A escola pode ajudar a diminuir essa poluição, fazendo uma campanha para a criação de redes de carona entre os pais. Assim, os pais de alunos que moram perto uns dos outros podem se revezar na tarefa de buscar e trazer as crianças.

(Fonte: Clip Escola)

Como o Equipe trabalha isso?

Os alunos participam de diversos projetos ao longo do ano, entre eles o Projeto Cidadão Sustentável e Empreendedor e a Mostra Científico-Cultural.

No Projeto Cidadão Sustentável e Empreendedor, o objetivo é repensar atitudes diárias nas formas de coleta seletiva e destino do lixo, na reciclagem, nos comportamentos responsáveis de “produção e destino” do lixo, na escola, em casa e em espaços em comuns. Os alunos também aprendem e se dedicam a produções empreendedoras, apresentando propostas de inovação e empreendedorismo.

No Projeto Mostra Científico-Cultural, o objetivo é apresentar o saber pedagógico, numa perspectiva integral e integradora do trabalho com as áreas de conhecimento, articulando os conteúdos com as experiências práticas dos alunos. Os estudos realizados durante o ano são orientadores para a produção dos trabalhos, garantindo a autonomia, a capacidade de iniciativa e de empreendedorismo, além de valorizar o projeto de cada um do aluno.