Você sabia que o empreendedorismo pode – e deve – ser trabalhado desde a escola?

É por essa razão que muitas instituições de ensino têm adaptado seus currículos para incluir essa temática nas aulas ou até mesmo criar uma disciplina apenas sobre empreendedorismo. As vantagens são muitas: além de saírem mais preparados para o mercado de trabalho, os alunos também desenvolvem competências úteis para toda a vida.

Entretanto, ainda são comuns algumas dúvidas sobre a inclusão do empreendedorismo no currículo escolar. Acompanhe este artigo e entenda mais sobre a questão!

O que queremos dizer com “empreendedorismo”?

Empreendedorismo é um termo muito ligado ao ambiente empresarial, que geralmente é utilizado para designar a criação de empresas, produtos ou serviços, bem como a criação de inovações.

Entretanto, quando falamos da inclusão do empreendedorismo em escolas, não se trata de abordar assuntos complexos de economia e administração ou “apressar” a entrada dos alunos no mercado de trabalho.

Na verdade, o que se pretende com esse tipo de abordagem é propor atividades educativas que ofereçam algumas noções profissionais e financeiras, mas sempre de maneira a estimular habilidades e competências úteis em diversos contextos

Por que trabalhar o empreendedorismo na escola?

Não basta apenas ter vontade para se tornar um empreendedor. Para chegar ao sucesso profissional, independentemente da carreira escolhida, é preciso contar com a orientação e a preparação adequadas.

Qual é, então, o papel da escola nesse contexto? Sabemos que a escola deve preparar o aluno para ser um cidadão consciente e autônomo. Assim, é também na escola que deve começar a preparação para o empreendedorismo, para o mercado de trabalho e para as finanças

Desse modo, as aulas de empreendedorismo na escola são um diferencial na preparação para o mercado de trabalho. Quando adultos, alunos que receberam noções de empreendedorismo têm mais condições de atingir o sucesso em suas carreiras.

Além de preparar para o futuro no mercado de trabalho, a educação que aborda o empreendedorismo traz benefícios imediatos às crianças e jovens. Veja alguns desses benefícios:

  • Incentivo às ideias criativas e à inovação
  • Estímulo ao comprometimento e à persistência
  • Maior desenvolvimento da autoconfiança
  • Melhor compreensão de responsabilidade
  • Desenvolvimento do senso de liderança
  • Facilidade para a resolução de problemas
  • Maior clareza em relação às noções financeiras

Leia na íntegra no site WPensar Blog

Como o Equipe trabalha isso?

Através do Projeto Cidadão Empreendedor. Uma vez por semana, os alunos do Ensino Fundamental II participam do projeto, que trabalha o empreendedorismo, a criatividade, sustentabilidade, questões financeiras e sociais. A disciplina PCE é diretamente envolvida com projetos anuais na escola, como Cidadão Sustentável e Empreendedor, que proporciona ações ao longo do ano para que os alunos vivenciem na prática a importância do cuidado com o outro e com o planeta. A disciplina trabalha em interdisciplinaridade com História, Geografia, etc.

A disciplina PCE é realizada a partir de habilidade composta da unidade temática Ciências Humanas.

Competências específicas:

  1. Compreender a si e ao outro como identidades diferentes, de forma a exercitar o respeito à diferença em uma sociedade plural e promover os direitos humanos. 2. Analisar o mundo social, cultural e digital e o meio técnico-científico- -informacional com base nos conhecimentos das Ciências Humanas, considerando suas variações de significado no tempo e no espaço, para intervir em situações do cotidiano e se posicionar diante de problemas do mundo contemporâneo.