Seis alunos do Equipe – unidades Gentil, Integrado e Cristal – conquistaram medalhas na Olimpíada Brasileira de Robótica, considerado o maior evento de robótica da América Latina. Na modalidade teórica, foram premiados Matheus Viana Athayde (Prata), Carlos Eduardo Alvares Branco (Mérito), Bruno Gomes de Souza (Mérito), Athos Arnour Leal (Mérito), Aline Yasmim Rodrigues de Paiva (Bronze) e Dante Baesso Gomes (Bronze).

Através do Espaço Maker, o Equipe visa integralizar o estudo das Ciências Exatas e o cotidiano do aluno de forma prática. Sendo assim, os participantes desenvolvem projetos, com o auxílio da robótica, programação, eletrônica e realidade aumentada, mostrando de forma lúdica conceitos aprendidos em sala de aula.

A OBR é uma das olimpíadas científicas brasileiras que se utiliza da temática da robótica. Tem o objetivo de estimular os jovens às carreiras científico-tecnológicas, identificar jovens talentosos e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro. A OBR destina-se a todos os estudantes de qualquer escola pública ou privada do ensino fundamental, médio ou técnico em todo o território nacional, e é uma iniciativa pública, gratuita e sem fins lucrativos.

No ano de 2018, foram mais de 156 mil participantes diretos de todos os Estados Brasileiros com mais de 4300 equipes competindo na modalidade prática no país.

A Modalidade Prática acontece através de eventos/competições Regionais e Estaduais que classificam as equipes de estudantes para uma final Nacional, os estudantes ficam sob orientação de seus professores e cientistas. Os alunos do Equipe foram orientados pelo professor Saulo Joel Oliveira.

A Modalidade Teórica, acontece nas escolas dos estudantes e em sedes regionais onde os estudantes responderem questões de uma prova escrita preparada por uma Comissão de Professores e Pesquisadores da OBR em uma única fase para o Ensino Fundamental e em duas fases para o Ensino Médio e Técnico.

A OBR é apoiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Ministério da Educação (MEC) e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Além de contar com o suporte da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e RoboCup Federation, é coordenado de forma voluntária por um grupo composto por cientistas e doutores na área de robótica e tecnologia das maiores e melhores universidades públicas e particulares do Brasil.

(Com informações da Olímpiada Brasileira de Robótica)