05/03/2018

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) concluiu os trabalhos de medida da área de desmatamento da Amazônia, e o resultado foi 7.893 km². A taxa refere-se à análise de dados do período de agosto de 2015 a julho de 2016.

A informação é dos ministérios do Meio Ambiente e do Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A mensuração foi realizada no âmbito do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes).

O valor alcançado nessa medição é aproximadamente 1% abaixo do que o estimado pelo Inpe em novembro de 2016, que foi de 7.989 km².

De acordo com dados disponíveis no site Observatório da Terra, o desmatamento observado em 2016 é 72% menor em relação à área registrada em 2004, ano em que foi iniciado o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal – PPCDam.

O índice do desmatamento relativo ao período de agosto de 2016 a julho de 2017 está em processamento e deve ser divulgado até novembro de 2017.

Fonte: Brasil.gov 

Comentário do professor Ivan Veloso:

O desmatamento vem sendo um grande vilão dos ecossistemas naturais, não apenas por estar aumentando, mas por ser responsável pela destruição de diversos ambientes naturais. Suas causas estão relacionadas à atividade madeireira, expansão da agropecuária e ao crescimento urbano.

Dentre as principais consequências podemos destacar as alterações climáticas, o empobrecimento do solo e a expropriação de comunidades nativas.