12/03/2018

A crescente degradação dos solos vem preocupando. De acordo com o Global Soil Forum, estima-se que, nos últimos 50 anos, a quantidade de terra agricultável per capita diminuiu cerca de 50% no mundo. Dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) apontam que cerca de 33% das terras têm alto ou médio grau de degradação. Dada a importância do tema, a FAO escolheu 2015 para ser o Ano Mundial do Solo. (…)

Erosão é um dos motivos elencados pela Sociedade Nacional de Agricultura (Foto: Thinkstock)

1 – Erosão No que se refere às ações da natureza, as chuvas são o principal agente causador da erosão. O ser humano também tem papel importante no processo com os desmatamentos. Ao retirar a cobertura vegetal de uma área, ela perde sua consistência, pois a água, que antes era
absorvida pelas raízes das árvores e plantas, passa a infiltrar, o que pode causar instabilidade do solo e erosão.

2 – Salinização
A concentração progressiva de sais pode ser causada pelo péssimo manejo da irrigação em regiões áridas e semiáridas. A baixa eficiência da  irrigação e a drenagem insuficiente nessas áreas contribuem para a aceleração do processo de salinização, tornando-as improdutivas em
curto espaço de tempo.

3 – Compactação
É um processo decorrente da manipulação intensiva, quando o solo perde sua porosidade pelo adensamento de suas partículas. Na agricultura, a compactação do solo se dá pela influência de máquinas agrícolas, tais como tratores e colheitadeiras, como também pelo pisoteio de animais, como o gado. A compactação é danosa para a produção agrícola, pois influencia negativamente o crescimento de raízes, fazendo com que a planta tenha problemas em seu desenvolvimento. Ela também diminui a movimentação da água pelo solo, criando uma camada muito densa onde a água não se infiltra, ocasionando excesso de líquido nas camadas superficiais, podendo provocar erosão.

4 – Poluição química
Na produção agropecuária, a contaminação química é mais evidente em razão da utilização de insumos agrícolas como fertilizantes, inseticidas e herbicidas. O uso de substâncias químicas no campo se difundiu a partir dos anos 60, com objetivo de alcançar uma produção de melhor qualidade e assim obter uma boa aceitação no mercado. A contaminação ocorre no solo e nas águas. Quando os fertilizantes e os agrotóxicos são conduzidos pelas águas da chuva, uma parte penetra no solo, que atinge o lençol freático e contamina o aquífero; a outra parte é levada pela enxurrada até os mananciais, como os córregos, rios e lagos que se encontram nas partes mais baixas do relevo.

Fonte: Globo Rural

Comentário do professor Ivan Veloso:

Degradação dos solos é uma das temáticas mais cobradas pelo ENEM. Além das problemáticas tratadas pelo texto acima, o aluno não pode esquecer de outros conceitos que são bem recorrentes, como a formação de ravinas, voçorocas e a laterização.

Ravinas: é um tipo de erosão superficial no solo, provocado pela ação da água que escoa na superfície do terreno. É importante ressaltar que os processos erosivos iniciam a partir da ocorrência do desmatamento.
Voçorocas: são grandes buracos, com fendas profundas, a partir de processos erosivos. Costuma-se considerar as voçorocas um estágio avançado do processo iniciado com o ravinamento do solo.
Laterização: é o acúmulo de hidróxido de ferro e/ou alumínio na superfície do solo.

COMPARTILHAR
É geógrafo e professor exclusivo do Sistema de Ensino Equipe, já lecionou em diversas outras escolas em Belém e região metropolitana. Foi coordenador do projeto Passaporte Enem, publicado pela editora SEE. Atualmente, coordena a editora do Sistema de Ensino Equipe.